Caraterização das utentes que acorrem ao Programa de Prevenção da Transmissão Vertical na Maternidade do Hospital Geral do Huambo de Junho de 2018 a Julho de 2019

Conteúdo Principal do Artigo

Victor Nhime Nungulo
Ana Teresa

Palavras Chave

HIV, PTV, TARV, Adesão ao tratamento

Resumo

Introdução. O programa da prevenção da transmissão vertical constitui o pilar para a redução do HIV  da mãe para o bebe e contribui para diminuir a morbi-mortalidade materna e infantil, aumentando assim a esperança de vida das populações. A presente pesquisa objectivou: caracterizar as utentas que acorrem ao programa de prevenção da transmissão vertical (PTV) na maternidade do Hospital  Geral do Huambo no período de Julho de 2005 a Julho de 2019 através  análise dos processos clinicos e livros de registro tendo em conta as seguintes variáveis: idade, estado civil, número de consultas pré-natais, idade gestacional, nivel de escolariadade, proveniência, tratamento anti-retroviral, estado serológico do parceiro e do bebe. Métodos: O estudo é do tipo descritivo, retrospectivo e transversal. Foram analisadas informações de 247 utentes  com HIV que aderiam ao programa de preveção da transmissão vertical do ano 2005 a 2019  Resultados: A MD=28 Anos  o DP=6,33 a faixa etaria mais prevalente foi de 23-28 anos de idade com 32% seguida de 29-34 com 27, 9% ; quanto o estado civil verificamos que maior parte das utentes são solteiras  37,2% seguidas das casadas  30%. Relativamente a aderência as consultas pré natais verifica-se que n=174(70,45%) realizaram apenas uma consulta, n=52(21,04%) duas consultas e n=7(2,83%) não aderiaram. Quanto ao nível escolaridade verficamos que maior parte das utentes tem o médio concluído 51,4% e 14,2% tem o superior. Face a idade gestacional verificamos que 21,46% tinham entre 14-18 semanas, 13-20 semanas representvam 20,24% e de 23-27 com 19, 03% . O TARV mais usado foi o AZT+3TC+NVP com 49,4% é o TDF3TCEFV que representou 47,8%.Informações do estado serológico dos parceiros apontam para n= 165(66,8%) positivos e n=30 (12.1%) negativos mais verifou-se também que n=52(21,1%) não realizaram o teste.Quanto o estado serológico do bebe verificaou-se n=172(69,64%) foram negativos, n=61(24,70%) não fizeram o teste e n=14(15,67%) foram positivos.Conclusão: o programa de prevenção da transmissão vertical do HIV da mãe para o bebe é de suma importância para evitar que crianças nasçam seropositivas. No entanto, há ainda algum trabalho a percorrer voltado a consciencialização sobre a necessidade da testagem e aderência ao PTV.

Resumo 49 | PDF Downloads 37
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.